Artigos

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

APRENDER A AMAR - REVISTA REIKI & YOGA - PORTUGAL



Aprender a Amar 
 
Amor está presente em tudo que existe por ser força mantenedora da vida proveniente da Fonte, Universo ou Deus. O seu despertar e desenvolvimento permite conexão com as esferas espirituais e constitui uma via e estágio obrigatório para quem escolhe evoluir para o plano da consciência espiritual.  
 
Essa força encontra-se no interior de cada ser, mais precisamente no chacra do coração que rege a glândula do timo responsável pelo sistema imunitário.  Na visão metafisica representa proteção por agir em defesa e contra os agentes agressores da vida, tanto perceptíveis como vírus, bactérias, fungos como pessoas, situações e manifestações mais sutis. Quando a energia desse chacra está devidamente equilibrada, a pessoa torna-se imune, promovendo uma sensação de bem-estar, satisfação e leveza. Nesse estado de ser, a pessoa se sente plena e livre pois usufrui dos benefícios da alegria e felicidade. 
 
No caminho para o despertar dessa consciência amorosa está o aprendizado do saber valorização e respeitar tudo que existe. Não apenas pelo interesse do que favorece somente a si mesmo e as pessoas do seu convívio, mas por tudo que aquilo que compõe a existência. 
 
O amor nasce da autopreservação, do estimar e apreciar.  Consequentemente, promove expansão, entusiasmo e disposição. Firma-se no ânimo, proporciona força de vontade de viver e de querer aprender com a vida. Para quem ama, tudo tem valor, mesmo que não sirva, preste ou esteja em desacordo com as necessidades e satisfações pessoais, porque tudo o que existe é útil, possui sentido, razão e propósito, presta e serve para alguma coisa e está relacionando sempre com algo ou alguém.  
 
A energia do amor permite se estabelecer relações e trocas, apenas possível após a aceitação, por não existir relação quando se rejeita. Ao estabelecer o envolvimento podem surgir afinidades e/ou diferenças. Nesse instante, é preciso aceitar que não foi como julgávamos, quisemos, desejamos ou esperamos. Foi como deveria ser e não poderia ter sido diferente.  Abandonar a ideia de referência estabelecida permite estar aberto para receber a realidade como ela se apresenta. Assim, ao notar que está em desacordo com o que acredita ser correto, nesse momento a flexibilidade está sendo posta à prova. A teimosia e as resistências precisam dar lugar a aceitação da verdade, pois o amor é sempre verdadeiro. Nunca engana, porque não existe na mentira.   
 
O Universo na sua fantástica criatividade faz tudo ser diferente, para que não seja possível a comparação e assim facilitar o perceber quem é outro. Em uma sociedade onde as pessoas querem ser iguais às outras para não se sentirem excluídas, preocupam-se com o que outros podem pensar a seu respeito e só aceitam os outros se forem iguais a elas, fica muito difícil compreender que todos somos únicos, singulares e indivisíveis. Presença que precisa existir na relação estabelecida com o outro para haver união e integração. Portanto, não há relação amorosa quando uma das partes se anula para satisfazer o outro.  Devido a exclusão de um e o enaltecer do outro, surgirá o superego de um lado e uma ausência de ego do outro. Quando isso acontece não existe relação por existir separação, mediante isso será impossível expandir e evoluir. Apenas será obtido desequilíbrio de egos. 
 
Saber aceitar, ao notar a diferença, desperta para o sentido do amor incondicional, ou seja, não há condições e limites para a expressão do amor, cuja manifestação só acontece quando está espontâneo e livre. O amor é a coragem da entrega, a ausência do medo e da dúvida, é certeza, a fé e a segurança sobre a própria capacidade em conseguir dar conta das situações da vida. 
 
O amor é zelo e responsabilidade por tudo que faz parte da vida e é por meio dele que se constata não haver para o universo superior ou inferior. Desperta o sentimento de gratidão e compaixão nas relações através da compreensão de que cada ser está onde tem de estar e de acordo com o seu processo evolutivo. Não existe vítima, mas cumplicidade nas relações que se atraem por similaridade, sonância e afinidade, também pelas vulnerabilidades que sempre irão revelar a ausência de conhecimento. Portanto, quando se quer evoluir precisa-se do amor para o envolvimento, estabelecer relação para adquirir o conhecimento necessário. Assim, deixa-se de ficar desprotegido, atinge-se a neutralidade, fica-se imune. 
 
Outro atributo importantíssimo do amor é o respeito pelas diferentes verdades, aprendendo-se a não julgar de acordo com os seus valores, crenças tabus e preconceitos. Descriminar favorecendo sempre algo em detrimento do outro, demonstrando, com essa atitude, não perceber a diferença, 
processo único que cada um vive e o seu estágio que ocupa, para além da sua singularidade e, portanto, incomparabilidade. 
 
Amor é a coragem da entrega, apego e desapego ao mesmo tempo, força que une, mas ao mesmo tempo separa e liberta, porque tudo que amamos tem de estar sempre livre para seguir o seu processo com ou sem a nossa presença. Força revigorante traz inúmeros benéficos, abre os caminhos para novas conquistas por promover fertilidade, prosperidade e abundância.  
 
O que muitos não sabem é como essa energia sublime do amor pode ser empregue no diariamente em simples e pequenas atitudes como o respeito, gratidão, aceitação e valorização. Parece simples, porém, para muitos, a sua prática é impossível, devido às memórias de referências do passado e das influências sofridas durante o processo de vida. Também pelos valores presente no inconsciente coletivo que impregnam e bloqueiam a sua ação. Por isso, acaba por colidir com o propósito a que serve e vibra essa consciência. 
 
Basta pensarmos e analisarmos as inúmeras reclamações na relação com a vida, com a própria pessoa e com os outros para depararmos com a rejeição e descontentamento com os seus resultados. Qualquer manifestação contrária ou que entre em desarmonia com o amor obstrui o seu fluxo. Como resultado, entra em desacordo com o amor e com os seus princípios e, consequentemente, bloqueia a força da energia da vida. É remar contra a corrente dessa matriz responsável pela multiplicação que dá origem e o direito à existência. 
 
Quando essa consciência se depara com comportamentos dissociativos do seu sentido perde sua força, começa a diminuir a sua expansão e a pessoa acaba por fechar-se em si mesma. Contribui com o sentido inverso, que é o despertar do sentimento de solidão, sensação de exclusão e não adaptação ao meio. 
 
Para o meu trabalho, é imprescindível resgatar a força da energia do amor. Para atingir esse objetivo, é necessário romper com as ideias limitativas, por isso aplico as técnicas pertencentes a minha metodologia do PHVida e do SEE – Sistema de Equilíbrio Energético®. Não existe paz enquanto houver traumas, mágoas, decepções, raivas e possíveis ódios. É de estrema importância curar essas feridas, purificar o ser por não existir amor em ambiente impuro. Enquanto houver energias pesadas e enfastiantes, o amor deixa de existir e o sofrimento toma conta. Amar não é um dever é uma obrigação por ser força que liberta a essência para sua infinita jornada, por entre experiências, acontecimentos e vidas. 



terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Aprender a Amar - Revista Reiki & Yoga - Portugal

sábado, 18 de outubro de 2014

22 - Ter um país para chamar de nosso

domingo, 13 de julho de 2014

21 - O Ser Humano

sexta-feira, 2 de maio de 2014

20 - O que nos faz humanos na atualidade

domingo, 19 de janeiro de 2014

19 - O respeito e liberdade

domingo, 12 de janeiro de 2014

18 - Natureza humana

domingo, 23 de junho de 2013

17 - O domínio

sexta-feira, 14 de junho de 2013

14 - Sobre o socialismo de Ugo Chávez

quarta-feira, 10 de abril de 2013

16 - A liberdade de escolhas

quinta-feira, 14 de março de 2013

15 - Tudo é Relativo

domingo, 11 de novembro de 2012

13 - Atitude Ética

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

12 - Filosofia do sofrimento

terça-feira, 14 de agosto de 2012

22 - Novos comportamentos - O caos no ensino

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

11 - A Existência

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

6 - Paz

segunda-feira, 9 de julho de 2012

5 - Eu sou - Autoconceito

terça-feira, 12 de junho de 2012

10 - Consciência e Ética

quarta-feira, 16 de maio de 2012

9 - Liderança pessoal

terça-feira, 17 de abril de 2012

8 - A vida é feita de inícios

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

3 - A doença

domingo, 29 de janeiro de 2012

7 - O Ser Humano Superior e Inferior

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

2 - A Crise

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

1 - Reflexão para ter um bom ano

PHVida Treinamentos & Editora

Rua João Moura, 518 - Jardim América - São Paulo - SP - 05412-001

E-mail: contato@phvida.com.br - Telefone: +55 (11) 4106-4141

Cadastre-se agora e não perca nenhuma de minhas atualizações